Mãe que corre

A difícil arte de conciliar tudo.

Patrícia : 14 de setembro de 2014 1:55 AM : Mãe que corre

Existem coisas que parecem incontroláveis, por mais que se planeje tudo.

Ultimamente, todos os imprevistos acontecem comigo e me impedem de ir treinar. Num dia a gente acorda e a geladeira pifou e tem que correr pra achar alguém pra consertar, antes que tudo lá dentro estrague; no outro, o fornecedor que era para aparecer de manhã liga dizendo que só vem a tarde (isso muito depois de a manhã ter se acabado, sem que eu tivesse a chance de fazer outra coisa no tempo em que fiquei esperando); no outro é o entregador que não poderá vir a noite e tenho que sair como louca ligando para todos que eu conheço para arranjar um substituto. E por aí afora. São essas coisas que, por mais que se planeje, faz com que treinar fique sempre relegado a último plano. Pra quem tem, teoricamente, um dia de folga na semana (segunda-feira), fica difícil ter ânimo pra sair correr. Até porque na segunda feira o foco é a família e o lazer sem hora marcada.

Além dos imprevistos, ainda dou aulas de inglês todas as terças-feiras na a pré-escola onde minha filha estuda. São 5 turminhas para quem eu tenho que preparar as atividades, escolher um vídeo bacana com o tema, pensar a forma de apresentar o conteúdo, etc. É uma tarde inteira de preparação e outra tarde dando aula direto, das 13:30 as 17:00.

Estou inscrita na Corrida Gomes da Costa em Itajaí dia 23/09 para 5 km. Minha meta, quando me inscrevi, era de fazer em 20 minutos ou o mais próximo possível desse tempo. Estava treinando duro com a Bio Eco Esportes para chegar nisso, mas até o treinamento eu tive que suspender. Não dá para manter a regularidade tocando um negócio no ramo de delivery, dando aulas, cuidando de filha pequena.

No começo eu surtei porque não ia atingir minha meta. Hoje eu penso que estou fazendo o que dá, da melhor maneira que eu posso, com o que tenho à mão naquele momento. Vou para essa corrida com a cabeça leve, sem compromisso com o relógio, para me divertir e encontrar os amigos. E não vou enlouquecer mais pensando que não consigo chegar onde eu quero. Pelo menos por agora, estou fazendo o que tem que ser feito e ponto.

Neste ciclo da minha vida, onde temos um negócio recém aberto e que precisa de todo cuidado e atenção para prosperar, vou correr pelo prazer da endorfina e pela saúde (que pra mim é o mais importante). Dentro do possível, continuarei participando das corridas.

 

 

Leave a response »
« Page 1 »

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

89 − = 81