Treinos

Poder da Mente – mantenha a rotina de corrida apesar de tudo!

Patrícia : 15 de dezembro de 2012 12:48 AM : corrida de rua, dicas de corrida, rotina exercício, treino de corrida

 

Foto: Lululemon Athletica, Creative Commons

Foto: Lululemon Athletica, Creative Commons

Cansado e mal-humorado? Veja dez maneiras de vencer a fadiga mental e ter pique para correr

Depois de um dia difícil no trabalho, você ainda tem que encarar o trânsito, as cobranças da família, os estudos para a pós-graduação… E só de pensar no treino de subidas da manhã seguinte, você já fica irritado. O dia a dia pode ser mesmo exaustivo, não só fisicamente, mas também mentalmente. E, com a cabeça cansada, seu rendimento na corrida pode ser prejudicado. É o que diz um estudo da Escola de Ciências dos Esportes, da Saúde e do Exercício da Universidade de Bangor, no Reino Unido.

Os pesquisadores dividiram atletas com níveis de condicionamento parecidos em dois grupos. Um deles fez exercícios cognitivos difíceis por 90 minutos e o outro assistiu a um documentário. Em seguida, todos os participantes realizaram um esforço físico intenso na bicicleta. Os atletas do primeiro grupo estavam muito menos dispostos do que os que assistiram ao filme e acharam o exercício mais difícil. O desempenho físico foi prejudicado porque o cérebro estava cansado.

O desafio, portanto, é encontrar formas de mostrar à sua mente que você pode aguentar mais um treino. “Concentre-se, admita que você preferiria se jogar no sofá, mas calce os tênis mesmo assim”, diz o americano Marshall Mintz, psicólogo clínico e esportivo. “Depois de começar, quase sempre nos sentimos bem por estar correndo”, afirma ele.

Reformule seus objetivos

Indeciso entre o controle remoto e o tênis de corrida? Não é fácil sair porta afora sem um motivo claro para correr. “Se não conseguir responder à pergunta: `Por que estou fazendo isso?’, você não vai longe”, afirma Rick Lovett, treinador de corrida e coautor do livro Alberto Salazar’s Guide to Road Racing (“Guia de corrida de rua de Alberto Salazar”, em tradução livre). Ele sugere manter um diário de treino com objetivos e os motivos pelos quais você corre.

Solução prática – Quando sentir vontade de pular o treino depois de um dia difícil, pegue o diário e reveja suas anotações. Ver seus objetivos escritos fará com que você pense duas vezes antes de cabular aquela corrida.

Seja flexível

A organização pode ser a saída para conseguir realizar as tarefas do dia a dia, inclusive a corrida. Pensar no treino e planejá-lo ao longo do dia faz com que você desenvolva a energia necessária para encará-lo. “Prepare um plano B caso tenha um imprevisto”, diz Mintz.

Solução prática – Se ficar preso no escritório até mais tarde, faça uma corrida mais curta. Se seu filho estiver com febre, faça alongamentos e exercícios de força e adie a corrida. “Não há problema em reprogramar-se para o dia seguinte”, afirma Mintz.

Chame um amigo

Quando você treina sozinho, é fácil começar a pensar em problemas familiares e de trabalho. E isso pode acabar com o bom humor que a corrida deveria lhe trazer. Ao correr com outras pessoas, você se socializa e dá um tempo para as cobranças da cabeça. Uma pesquisa da Universidade de Rochester, em Nova York (EUA), demonstrou que quem tem um grupo de amigos animados é mais motivado e comprometido com o exercício, em comparação com quem pratica esportes sozinho.

Solução prática – Grave os telefones de alguns colegas de corrida na discagem rápida e não pense duas vezes antes de ligar para um ou dois deles quando a preguiça bater. Há grandes chances de que eles estejam na mesma situação. E, se não conseguirem combinar um treino juntos, pelo menos poderão trocar palavras de incentivo. “Em qualquer tipo de exercício existe uma chance maior de sucesso se você tiver a colaboração de alguém”, explica Mintz.

Ligue o som

Uma série de pesquisas mostra que a música pode ser uma grande fonte de motivação para os exercícios. Um estudo publicado no Journal of Sport Behavior constatou que, além de ajudar os atletas a se exercitar mais, a música também diminuiu a percepção de esforço. Lovett incentiva os corredores a escutar música antes mesmo dos treinos para “entrar no clima”.

Solução prática – Ligue seu MP3 enquanto responde aos últimos e-mails no trabalho ou, ao dirigir para casa, coloque seu CD predileto. Isso aumenta as chances de você calçar os tênis assim que chegar em casa. “De todas as coisas que um atleta pode fazer para ter pique antes de uma corrida, ouvir música é a que ativa a maior parte do cérebro ligada à motivação”, diz Mintz.

Gerencie as crises

Naqueles dias em que sua cabeça começa a martelar, pensando em tudo que deu errado, interrompa sua mente, ensina Mintz. Ele sugere combater esses pensamentos com outros positivos: “Meu dia foi difícil, mas eu vou me sentir melhor depois de correr”.

Solução prática – Por mais tentador que seja ceder aos pensamentos negativos, diz o psicólogo, obrigue seu corpo a executar os movimentos da sua rotina de corrida: tome uma chuveirada rápida ou uma xícara de café, calce os tênis, faça alguns polichinelos e vá correr. O começo da corrida pode ser difícil, mas, depois que estiver na rua, você se sentirá bem.

 

 

 

*Matéria originalmente publicada na revista Runner´s World.

Leave a response »

Para não parar mais de correr

Patrícia : 30 de novembro de 2012 3:30 PM : corrida emagrece, dicas de corrida, fadiga, perca gordura, perca peso, perda de gordura, Sem categoria, treino de corrida

Para não parar mais de correr.

Para não parar mais de correr.

 

 

Motivação, como a própria palavra sugere, é o ato de dar motivo para algum acontecimento ou para fazer alguma coisa. Estar motivado pode ser o ponto de partida para muitas coisas, entre elas, iniciar uma rotina de corrida, por exemplo.

Muitos corredores iniciantes enfrentam problemas para correr em condições adversas, ou têm dificuldade de conciliar a rotina do dia a dia com suas passadas. O resultado, na maioria das vezes, são treinos que não acontecem, diminuição do rendimento e, consequentemente, maus resultados em provas. Para mudar esse quadro, o corredor deve estar sempre motivado. Eis algumas dicas.

O primeiro passo
Para que isso aconteça, é fundamental ter certeza de que é a corrida que o faz feliz. Depois, é importante saber adequar seus horários com os dias de treino, assim, seu esporte não atrapalha seus afazeres e vice-versa.

Segundo o psicólogo do esporte do Clube de Regatas do Flamengo, Paulo Ribeiro, “ter qualidade de vida é ponto-chave na atividade física. Isso se consegue por meio de uma vida pessoal satisfatória, esporte escolhido de acordo com seu desejo e harmonia na vida familiar”.

Quando o corredor estiver convencido de que a corrida é o melhor esporte a ser praticado, além de já ter adequado seus horários aos treinos, é a hora de buscar um motivo a mais para continuar correndo. Todo mundo precisa de estímulos para correr, sejam eles externos, como correr ouvindo música, ou internos, como metas pessoais.

Correr por algo maior
Se você ainda não tem uma meta para atingir na corrida, crie uma. “Aconselho a todos a antes de começar o treino ou até mesmo a prática da corrida, reservar alguns minutos para definir metas a serem alcançadas. Cada corredor deve ter um objetivo realista para a corrida. Para se manter motivado, é necessário definir metas a curto, médio e longo prazo”, aconselha Fábio Avelar, diretor da Leg Assessoria Esportiva.

Quando existe um objetivo a ser alcançado, o simples fato de querer buscar esse resultado já é um ótimo motivo para não parar de correr.

Estabelecer um desafio ou diminuir seu tempo são práticas muito saudáveis e devem ser um exercício de superação constante. Essa tática só não vai funcionar, ou funcionará de maneira inversa, quando as metas estabelecidas estiverem muito longe do que pode ser atingido pelo corredor. É preciso respeitar as próprias limitações e definir uma meta atingível. Assim o desafio será um motivo para treinar.

O psicólogo do esporte José Aníbal dá a dica para acertar na escolha de metas. “Siga dois princípios básicos: seus objetivos devem ser atingíveis, para não desmotiva-lo; e difíceis o suficiente para oferecer o desafio.”
Pensamento positivo
Quando o corredor já passou da metade da prova, o cansaço começa a aparecer. A parir daí, o que todos querem é uma reta plana, com sombra e muitos postos de hidratação, mas geralmente o que surge é uma intimidadora subida, para o terror de qualquer um. Nessa hora é impossível evitar pensamentos negativos do tipo “acho que não vou conseguir” ou “não aguento mais”, mas é possível afetá-los da mente e continuar correndo.

“Esses pensamentos negativos podem acabar o seu treino ou com a sua prova. Para tentar controlar isso, você deve ter uma palavra chave, por exemplo, calma ou tranquilidade. Escolha sua palavra chave e quando surgirem pensamentos negativos, utilize-as com muita energia, para cortá-los prontamente”, recomenda Avelar. Para completar, Ribeiro lembra que “se um pensamento não for saudável, certamente o final da situação também não será”.

Faça chuva ou faça sol
Já está comprovado que a prática da corrida traz uma infinidade de benefícios à saúde e este é o motivo pelo qual muita gente inicia os treinos. O que acontece é que depois de atingir a primeira meta, a corrida se torna um vício saudável, no qual o corredor busca a superação cada vez mais longe.  A partir desse momento, estar gripado, ter um dia difícil ou sair para correr com chuva não são motivos para desistir.

A técnica de enfermagem Rejane Almeida, 33, conta que logo que começou a correr já sentiu melhorias na qualidade de vida. “Melhorei minha qualidade de sono, meu estado de humor e minha forma física”, diz ela, que tem alguns truques para não deixar de sair para os treinos: “Costumo colocar em minha cabeceira uma foto minha antes de começar a treinar e uma atual, que renovo a cada mês. Assim que acordo penso logo que não quero mais voltar a ficar como estava antes”.

Com uma técnica um pouco diferente, a administradora Camila Stolf, 29, também não se deixa abater. “É muito raro eu não querer treinar. Quando você tem um objetivo maior, corre a qualquer custo. Comecei a correr maratonas em 2007 e hoje treino para isso. Se precisar acordar às 3h da manhã para treinar, eu vou acordar!”

Não desanime
O psicólogo do esporte José Aníbal dá 4 dicas para continuar correndo bem e não parar mais.
1) Procure por uma companhia para manter-se estimulado. Estabeleçam um acordo para quando um estiver desmotivado ser estimulado pelo outro e vice-versa.
2) Quando estiver sozinho, corra ouvindo música. Já foi aprovado que ela pode estimular a prática do exercício físico e mantê-lo concentrado no treinamento.
3) Ao estabelecer metas para sua corrida, procute colocá-las criteriosamente ao seu alcance. Não há coisa mais desmotivante que no não-cumprimento de suas metas.
4) Identifique, na medida do possível, os motivos que o levam à prática da corrida para que não subestime ou exagere na dose. A evolução vem naturalmente.

(Matéria publicada na revista O2 nº72, abril de 2009)

1 Comment »
« Page 1, 2»

2 thoughts on “Treinos

  1. Parabéns pelo site! Lendo e relendo cada artigo.

    Sou crítico com matérias pela internet. Gosto de confrontar informações com outras matérias de outros sites, de sites de educação física, de redes credenciadas e claro, da boa e velha experiência própria!

    Gostei muito das suas matérias, muito coesas com o que é ensinado por especialistas.

    Ótimo ano e boas corridas!

    1. Oi Rodrigo! Obrigada por acessar o site! Fico feliz que tenha gostado dos posts! Eu procuro escrever sobre o que vai no meu cotidiano na corrida como uma amadora que sempre busca baixar tempo. Passo o tempo todo competindo comigo mesma! Risos!
      Fique a vontade para comentar sempre que quiser. Agora vai começar a sobrar um tempinho e vou voltar a escrever com mais frequência!

      Um forte abraço e boas corridas!
      Patrícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

28 + = 30